“Por que fiz eu dos sonhos a minha unica vida?”

É com a frase de Fernando Pessoa que começo essa crônica que tem todo o ar de desflagelar meu orgulho machucado por conta do mocinho que não ligou no dia seguinte… pode ser isso, também, mas acima de tudo um presente para mim mesma, pela noite que passei em claro ontem, e por tantas que venho passando desde meados do final do ano ate aqui. Agora, pior, do escritório direto para o cursinho. Do cursinho, direto para a escrivaninha estudar sentada, ate o corpo gritar. Da cadeira para cama, abajur aceso, falta ainda estudar aquela parte. Dentre um sacrifício e outro, o deleite de conhecer Guimarães Rosa. Prazer em conhecê-lo!

Mais um presente, um mimo, uma recompensa: trilhas sonoras de filmes que não saem da minha cabeça: Tudo Acontece em Elizabethtown como tudo acontece no meu domingo sem ninguém, mas com a magricela rosa Pink que me leva flutuando ate o parque do Ibirapuera, num feriado, a ter contato com gentes de todo canto da cidade, entupindo aquele verde artificial, mas bonito e preciso.

Tomei quase a chuva toda que caiu naquele meio de tarde, 25 minutos de chuva. Ensaquei Guimarães no supermercado e segui pedalando na garoa. E entendi quando o Marcelo diz que a vida tem outra vibração quando observada de dentro de um capacete. .. entendi perfeitamente! Só olhando por dentro para saber.

Hoje, faminta, depois da chuva e do trafego e de metade da aula, me socorri da padoca ali na Rua Da Gloria para um honesto misto quente com café-com-leite morno. Debrucei minha camisa de grife sobre o balcão imundo, segurando o copo americano com ares de cachaceira. Mordi cada pedacinho do lanche com bastante mostarda. Eu bem que gostaria de ter batido papo com alguém ali por horas… talvez sobre como a vida é uma coisa tão estranha…

O Renato um dia me escreveu – pois ele é incapaz de dizer -, na verdade agradecia pelo jeito que eu o amava, pelo amor que eu lhe dava, por dar a ele tanto amor… Algo assim! E a Patrícia, no seu texto que mais parece uma prece, falou dos meus olhos, que nunca olharam pra ela sem amor. A Marcela, ao presentear minha mãe com um livro, anotou com capricho alguma coisa parecida com… obrigada por colocar a Re no mundo. Puxa…

Por derradeiro, tenho anotado com as letras girafas da Estela: você é minha tia preferida!

Muitas vezes tenho olhado no espelho, já na crise dos 29, e não consigo enxergar direito quem eu sou. Preciso constantemente desses anjos que vivem a me provar por A+B que eu sou uma filha de Deus bem feitinha, dentro do esperado… às vezes ate acima.

Fiz curso de palhaço e adoro ver os outros chorarem de rir. Adoro ver as pessoas rirem! Ate quando minha cara feia gera o riso… fico mais feia ainda! É meu gosto.

Fui a Interlagos no sábado, doida pra pilotar, mas só assisti. Assisti o Frank e assisti ao Frank correndo por mim. Fiquei ao lado dele de co-pilota virtual. No final ele mandou um “valeu pela Cia” bem alemão, mas bem sincero, que é o que importa. Eu adoro o Frank e fico feliz quando ele me deixa chegar perto dessa maneira. Alemão arisco! Porem sincero. E sinceridade é coisa rara. Bem rara…

Consegui postar em tempo pelo correio o presente da minha avo: 87 anos! Chegou um dia antes, mas ela, paciente – presente que só a idade nos da – aguardou ate o dia 23. Escrevi um cartão a mao, comprei sabonete com perfume de capim cidreira e um par de brincos. E o telefonema dela agradecendo feliz da vida? Tem preço? Eu escrevi: eu não estou ai, mas meu coração jamais da um passo sequer para longe de você. Bonito, ne? Ela gostou. Diz que eu sou uma poeta “eximia”.

Duro é levantar cedo, mas estou fazendo isso por mim e pelo próximo, que terá uma bela namorada com medidas de passarela (ou quase). Durante muito tempo não fui bonita e era vazia. Durante outro tempo fui bem bonita e continuei vazia, mas fui me enchendo. Depois fiquei cheia demais (pesada demais). Hoje quero conciliar os dois, por isso estudo, estudo, estudo, leio, leio, leio, escrevo, escrevo e malho, malho, malho… e deixei os cabelos crescerem.

Fui à livraria comprar um presente para o meu professor, escolhi um livro “ Para viver com poesia”, de Mario Quintana. Isso porque sempre senti, no fundo dos olhos dele, que aquela alma precisava de salvação. Mais do que o livro, fiz anotações no livro todo, com referencias, comentários, outras indicações de leitura. Personalizado. Ele disse “minha mae esta encantando por voce!”. Nao sei se rio ou se choro…

Ah, e quem disse que temos que fazer as coisas aguardando algo em troca? Onde esta escrito? A escritura diz: faz ao seu próximo o que gostaria que fizessem para você. Eu adoraria ganhar um livro todo anotado…

Para o meu amigo que viajou e já voltou, também fiz isso. Mas com outra obra que li, que ficou comigo durante todo o mês que antecedeu sua viagem. Ainda não entreguei. Fiz bem. Esta aqui e é dele. Um dia vou entregar. Gosto de tudo personalizado. Se ele lesse esse blog, pleitearia o que lhe é de direito. Mas não le, não. E eu o amo tanto, mesmo assim.

Fiz para a Patrícia meu livro de poesias que só ela tem. Tudo no recorta e cola com tesoura sem ponta e Tenaz. Mas, na ansiedade de beijar o menino mais lindo da festa, na sexta-feira acabei elogiando a gravata dele em vez dos olhos mais lindos de todos os olhos lindos que já olhei. Ele me jogou essa, o menino dentista das biológicas me pregou essa peca. Ele veio me dizer que os MEUS olhos eram os mais lindos… a fala era minha e ele pegou a deixa. Deixe estar… quebra ele um espelho e terá 7 anos de azar! Eu quebrei um de cristal no meio dessa sala e, de la pra ca… quem saberá?

“Estremecerei de susto ate dormir, no entanto, tudo é tão pequeno. Para o desejo do meu coração, o mar é uma gota”. Adélia Prado

Hoje, dia 08, saindo da garagem da casa da minha mae ouvi um grito de “Vai com Deus, tia!” do meu sobrinho Junior que embarca de volta para Minas na terca-feira. Nao resisti, e chorei o choro de tudo isso aqui. Esse vai para ele, retalhos do que eh a tia que ele tanto gosta…

Anúncios

Sobre ruivaah

Apaixonada por livros, fotos, viagens, montanhas, bicicleta, riachos, familia, amigos e animais! Apaixonada pelo sol e pela chuva.
Esse post foi publicado em Uncategorized. Bookmark o link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s